CASA MUSEU TEMPORARIAMENTE ENCERRADA
  • Home

Em ano de centenário da artista, a Santa Casa juntou-se à Fundação Amália Rodrigues com o objetivo de tornar a cultura acessível a todos. Além de apoiar a cultura, a instituição quer ajudar a preservar o património da fadista.

Tendo em conta o contributo dado pela Fundação Amália Rodrigues à cultura nacional, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa celebrou um protocolo com a Fundação, dando assim continuidade à missão de apoiar o setor, sobretudo em tempos de pandemia, ao possibilitar ainda que os espetáculos sejam acessíveis a todos.

Este protocolo visa, entre outras medidas, apoiar a Fundação a criar condições de acessibilidade e conforto a pessoas de mobilidade reduzida e a requalificar o espaço destinado a reservas museológicas que carece de reconstrução de toda a cobertura do edifício. Destaque ainda para a criação de um programa especialmente vocacionado para os seniores, que será desenvolvido ainda em 2020.

E porque Amália merece ser lembrada sempre, a edição de 2020 do Santa Casa Alfama foi dedicada ao centenário da Voz de Portugal. Assim, destaca-se o concerto “Celebrar Amália 100 Anos Depois”, uma homenagem de diversos artistas a Amália (Jorge Fernando, Rui Veloso, Kátia Guerreiro, Diogo Piçarra, Marco Rodrigues, Sara Correia, André Amaro), a presença da exposição “Bem-Vinda Sejas Amália”, concebida pela Fundação Amália Rodrigues, nesta edição do festival de Fado da capital, e o espetáculo de video mapping produzido em parceria com a Fundação Amália Rodrigues.

Veja aqui a reportagem “Amália, canta-me o fado” sobre o festival, que destaca também a parceria estabelecida em julho de 2020 entre a Santa Casa e a Fundação Amália Rodrigues.

A Miranda & Associados e a Fundação Amália Rodrigues unem-se nas celebrações do centenário do nascimento de Amália Rodrigues e oficializam o protocolo de prestação de serviços de apoio jurídico à Fundação.

A cerimónia realizou-se no passado dia 29 de setembro, na Casa Museu da Fundação Amália Rodrigues, em Lisboa, e contou com a presença de Diogo Xavier da Cunha e Ana Pinelas Pinto, respetivamente Presidente do Conselho de Administração e Sócia-Administradora da Miranda, e de Joaquim Vicente Rodrigues e Francisco Velez Roxo, respetivamente Presidente e Vogal do Conselho da Administração da Fundação.

A Miranda tem desenvolvido de forma crescente as suas atividades de responsabilidade social quer numa vertente mais estrita da prestação de serviços jurídicos pro bono quer no envolvimento e interação com as principais instituições sociais e culturais do país e é nesse sentido que se associa à Fundação Amália Rodrigues.

A exposição de homenagem a Amália Rodrigues “Bem-Vinda Sejas, Amália” inaugurou em Ourém a 26 de Setembro, no Auditório Cultural dos Paços do Concelho, onde estará patente até 10 de Outubro. Esta abertura decorreu no âmbito das Comemorações da Fundação Oureana e Instituto Amália, entre outras entidades de Ourém, que incluíram também a inauguração de um memorial de homenagem à Rainha do Fado.

Produzida pela Fundação Amália Rodrigues para celebrar o centenário do nascimento de uma das mais importantes figuras da cultura portuguesa do último século, esta mostra itinerante dá a conhecer aos portugueses, de norte a sul, a singularidade de Amália enquanto mulher e artista. No caso de Ourém, a mostra integra ainda fotografias e objetos da Voz de Portugal aquando das suas visitas a este Município.

Esta iniciativa, patrocinada pela Delta Cafés, está incluída no programa nacional de Comemorações do Centenário do Nascimento de Amália que conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República.

“Bem-Vinda Sejas, Amália” já passou por Braga, Maia, Viana do Castelo, Odemira e seguirá ainda para Alter do Chão, Lagoa, Crato, Portimão, Barcelos, Alcochete, entre outros municípios.

Abertura da exposição: 2.ª a 6.ª das 10h às 18h; sábado das 14h às 18h

A exposição “Amália e os Média – um ensaio” abre ao público no dia 18 de setembro de 2020, na nova galeria de exposições da Fundação Portuguesa das Comunicações, em Lisboa.

A mostra, organizada em parceria pela Fundação Amália Rodrigues, pela Fundação Portuguesa das Comunicações e pela Valentim de Carvalho pode ser visitada até ao dia 7 de dezembro.

Este ensaio de exposição pretende narrar a importância dos Média no percurso artístico de Amália. Os visitantes poderão testemunhar a evolução dos meios de gravação da voz de Amália Rodrigues e conhecer a tecnologia que serviu e permitiu difundir pelo mundo inteiro a intérprete conhecida como “A Voz de Portugal”.

Desenvolvida em diversos “atos”, este work in progress expositivo inicia-se com uma assemblage de recortes de jornais, no sentido de mostrar ao público a dimensão de Amália na imprensa (nacional e internacional); equipamentos utilizados nas gravações de estúdio por Amália, aparelhos audiovisuais, fotografias, edições discográficas (incluindo alguns inéditos); cartazes de espetáculos de Amália; entre outros.

“Amália e os Média – um ensaio” integra a programação do centenário do nascimento de Amália Rodrigues e conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República.  Estão asseguradas todas as condições de segurança sanitárias e normas emanadas da Direção-Geral de Saúde.

Depois de acolher o concerto no dia do 100º Aniversário do Nascimento de Amália, o Brejão (Odemira) recebe a exposição com o mesmo nome, “Bem-Vinda Sejas, Amália”. Assim, a mostra poderá ser visitada de 1 a 25 de Setembro, no Centro Cultural do Brejão, localidade onde Amália e César tinham o seu refúgio de férias.

Produzida pela Fundação Amália Rodrigues para celebrar o centenário do nascimento de uma das mais importantes figuras da cultura portuguesa do último século, esta mostra itinerante dá a conhecer aos portugueses, de norte a sul, a singularidade de Amália enquanto mulher e artista. Cosmopolita – presença assídua nas mais importantes salas de espectáculo do mundo – e popular no convívio com aqueles que a pretendiam conhecer.

Esta iniciativa, patrocinada pela Delta Cafés, está incluída no programa nacional de Comemorações do Centenário do Nascimento de Amália que conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República.

“Bem-Vinda Sejas, Amália” já passou por Braga, Maia, Viana do Castelo e seguirá ainda para Ourém, Alter do Chão, Lagoa, Crato, Portimão, Barcelos, Alcochete, entre outros municípios.

A Fundação Amália Rodrigues, o CPS – Centro Português de Serigrafia e a Galeria António Prates, unem-se nas celebrações do centenário do nascimento de Amália Rodrigues e dos 35 anos do CPS.

O Protocolo tem como objetivo promover as criações de artistas para quem Amália foi e permanece uma inesgotável fonte de inspiração, onde se incluem já as singulares obras de Leonel Moura, Domingos Mateus, Pedro do Vale e Nuno Teixeira.

A Galeria António Prates promoverá um concurso multidisciplinar dirigido a um alargado conjunto de artistas, que terá por base a criação de obras em torno da emblemática figura de Amália, enriquecendo a sua vasta iconografia com um novo repertório de imagens que dará lugar a uma exposição nas instalações da galeria.

No dia 30 de julho de 2020, foi lançada oficialmente a coleção Amália Eyewear, uma parceria da Fundação Amália Rodrigues com a Prooptica.

A apresentação, que começou às 18h na Casa-Museu, contou com momentos musicais no jardim, onde Wanda Stuart interpretou alguns dos fados de Amália que inspiraram a mais recente linha de óculos da Prooptica. O evento foi filmado e transmitido em direto nas redes sociais da Prooptica (e partilhado nas da Fundação). Veja aqui a gravação do lançamento da coleção Amália Eyewear.

É uma coleção inspirada na mulher Amália – de estilo clássico elegante, com traços de ousadia de elementos modernos, toques de sofisticação, com linhas rectas, elegantes e com detalhes florais, respeitando o seu gosto por flores, em particular por malmequeres.

Esta iniciativa vem ao encontro da estratégia da Prooptica, que aposta há 26 anos em Portugal e nas marcas e personalidades relevantes para divulgação da cultura e da moda portuguesa no mundo. “Amália Rodrigues é uma mulher de fé e de cultura que personifica na perfeição a mulher portuguesa: independente, emancipada, segura de si, elegante, sedutora, bonita e atenta às tendências de moda.”, defende o Diretor Geral da Prooptica, Luís Justino.

No passado dia 23 de julho de 2020, foi lançada oficialmente a emissão filatélica dos CTT em homenagem a Amália Rodrigues. A cerimónia de apresentação decorreu no Panteão Nacional, no dia em que comemorava o centenário do nascimento de Amália.

A emissão filatélica comemorativa é composta por dois selos e ainda um bloco filatélico com um selo, sendo que o design dos selos esteve a cargo de AF Atelier.

“Com a emissão de selos que lhe vamos dedicar damos a conhecer em muitos países e a incontáveis pessoas – como se tal fosse necessário face à projeção universal de Amália – a personalidade cativante e a obra da grande senhora, seguros de que, ao fazê-lo, estamos também a projetar o bom nome de Portugal.”, afirmava Raul Moreira (Diretor de Filatelia dos CTT) na altura do estabelecimento da parceria com a Fundação Amália Rodrigues.

(Fotos da autoria dos CTT)

“Bem-Vinda Sejas, Amália”, exposição de homenagem a Amália Rodrigues, inaugurou no Fundão, dia 23 de Julho, às 16h00, na Sala de Exposições d’A Moagem-Cidade do Engenho e das Artes.

Produzida pela Fundação Amália Rodrigues para celebrar o centenário do nascimento de uma das mais importantes figuras da cultura portuguesa do último século, esta mostra itinerante dá a conhecer aos portugueses, de norte a sul, a singularidade de Amália enquanto mulher e artista. Cosmopolita – presença assídua nas mais importantes salas de espectáculo do mundo – e popular no convívio com aqueles que a pretendiam conhecer.

Esta iniciativa, patrocinada pela Delta Cafés, está incluída no programa nacional de Comemorações do Centenário do Nascimento de Amália que conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República.

“Bem-Vinda Sejas, Amália” inaugurou em Braga, passou pela Maia e tem já agendadas apresentações em Viana do Castelo, Odemira, Ourém, Alter do Chão, Lagoa, Crato, Portimão, Barcelos, Alcochete, entre outros municípios.

“Bem-Vinda Sejas, Amália”, exposição de homenagem a Amália Rodrigues, inaugurou no dia 23 de Julho, às 17h30, no Museu do Traje, em Viana do Castelo.

Produzida pela Fundação Amália Rodrigues para celebrar o centenário do nascimento de uma das mais importantes figuras da cultura portuguesa do último século, esta mostra itinerante dá a conhecer aos portugueses, de norte a sul, a singularidade de Amália enquanto mulher e artista. Cosmopolita – presença assídua nas mais importantes salas de espectáculo do mundo – e popular no convívio com aqueles que a pretendiam conhecer.

A exposição em Viana do Castelo integra o icónico traje de Mordoma que Amália usou nas festas da Senhora da Agonia, em 1998, e que pertence ao Museu do Traje. A foto acima publicada é da autoria do Município de Viana do Castelo.

Esta iniciativa, patrocinada pela Delta Cafés, está incluída no programa nacional de Comemorações do Centenário do Nascimento de Amália que conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República.