HORÁRIO VISITA: Terça a domingo das 10h às 18h

Autor: Fundação Amália Rodrigues

O Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa, no Município do Crato, inaugurou, no dia 4 de dezembro, a exposição “Bem-Vinda Sejas Amália”, que comemora o centenário do nascimento da fadista Amália Rodrigues.

Produzida pela Fundação Amália Rodrigues para celebrar o centenário do nascimento de uma das mais importantes figuras da cultura portuguesa do último século, esta mostra itinerante dá a conhecer aos portugueses, de norte a sul, a singularidade de Amália enquanto mulher e artista.

Esta iniciativa, que conta com o patrocínio oficial da Delta Cafés, está incluída no programa nacional de Comemorações do Centenário do Nascimento de Amália que conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República.

“Bem-Vinda Sejas, Amália” já passou por Braga, Maia, Fundão, Viana do Castelo, Odemira, Ourém, Lisboa (Santa Casa Alfama), Lagoa, Alter do Chão e seguirá ainda para Portimão, Barcelos, Alcochete, Montemor-o-Velho, entre outros municípios a anunciar.

“Bem-Vinda Sejas, Amália” abriu ao público em Alter do Chão a 21 de Novembro e estará patente até 06 de Dezembro, no Cineteatro Municipal, que esteve encerrado para obras de requalificação.

Produzida pela Fundação Amália Rodrigues para celebrar o centenário do nascimento de uma das mais importantes figuras da cultura portuguesa do último século, esta mostra itinerante dá a conhecer aos portugueses, de norte a sul, a singularidade de Amália enquanto mulher e artista.

Esta iniciativa, que conta com o patrocínio oficial da Delta Cafés, está incluída no programa nacional de Comemorações do Centenário do Nascimento de Amália que conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República.

“Bem-Vinda Sejas, Amália” já passou por Braga, Maia, Fundão, Viana do Castelo, Odemira, Ourém, Lisboa (Santa Casa Alfama), Lagoa e seguirá ainda para o Crato, Portimão, Barcelos, Alcochete, entre outros municípios a anunciar.

No dia 10 de novembro de 2020, foi lançado oficialmente o vinho “Amálias” resultante da parceria entre a Fundação Amália Rodrigues e a Adega Mayor, no âmbito do Centenário do Nascimento de Amália Rodrigues.

Na apresentação, na Casa-Museu Amália Rodrigues, onde se cumpriram todas as regras estabelecidas pela DGS, estiveram presentes Rita Nabeiro (Diretora-Geral da Adega Mayor), Pedro Foles (Diretor de Marketing da Adega Mayor) e Ana Miguel (Gestora de Comunicação da Adega Mayor), e Vicente Rodrigues (Presidente da Fundação Amália Rodrigues), Francisco Velez Roxo (Administrador da Fundação Amália Rodrigues) e Olga Apolónia (Secretária-Geral da Fundação Amália Rodrigues).

Numa homenagem a Amália, que nunca quis ser apenas uma, a Adega Mayor pretende abrir os sentidos ao mais emotivo dos nossos símbolos, levando à mesa de Portugal e do mundo um pouco do que foi Amália.

Os rótulos das três garrafas que compõem o tripack “Amálias” foram desenhados por três artistas portugueses, que interpretaram diferentes facetas da artista: visionária (por João Fazenda), humanista (por Tiago Albuquerque) e livre (por Sara Feio), por esta ordem na primeira imagem acima.

No dia 12 de novembro de 2020, na Casa-Museu Amália Rodrigues, foi apresentado o livro “Amália – Já Sei Quem És” numa sessão que contou com a presença de Carminho (autora), de Rui Vieira Nery e de Joana Gonçalves (editora). Francisco Leiria Viegas, conselheiro da Fundação Amália Rodrigues, deu as boas vindas à Casa de Amália.

A sessão iniciou-se às 18h, no célebre salão da Casa-Museu, e foi transmitida em live streaming através de diferentes páginas de Facebook (Carminho, editora, Fundação Amália Rodrigues, Museu do Fado). Este evento contou, ainda, com um momento musical de Carminho acompanhada por três músicos (Pedro Castro, André Ramos e Francisco Gaspar).

No âmbito do Seminário Permanente do grupo Performance & Cognição do ICNOVA e do cluster Performance & Performatividade na Arte do ICNOVA/IHA, com a parceria da Fundação Portuguesa das Comunicações e da Fundação Amália Rodrigues, iniciou-se a 26 de outubro o ciclo Amália e os Média: Um Ensaio Expandido.

Coordenado por Cláudia Madeira, docente e investigadora integrada do ICNOVA da NOVA FCSH, o programa incluiu uma visita-guiada à exposição Amália e os Média: um ensaio com o curador Rui Orfão (Administrador da Fundação Amália Rodrigues), patente no Museu das Comunicações, e conversas com Miguel Carvalho (jornalista), Emília Tavares (curadora), Rui Vieira Nery (musicólogo) e Margarida Mestre (performer), em torno das representações, performances e performatividades de Amália Rodrigues em várias das suas dimensões.

O ciclo, com apresentação online aberta ao público, terminará no dia 16 de Dezembro com uma mostra do Laboratório de Drama e Comunicação da disciplina dos alunos de Teorias do Drama e do Espetáculo da licenciatura de Ciências da Comunicação no Museu das Comunicações. Essa mostra terá por júri Rui Orfão, Carlos Pessoa e Cláudia Madeira.

“Bem-Vinda Sejas, Amália” em Lagoa

A exposição de homenagem a Amália Rodrigues “Bem-Vinda Sejas, Amália” abriu no Município de Lagoa a 24 de Outubro e estará patente na Sala de Exposições Temporárias Pintor Manuel Gamboa, no Convento de S. José, até ao dia 21 de Novembro.

Produzida pela Fundação Amália Rodrigues para celebrar o centenário do nascimento de uma das mais importantes figuras da cultura portuguesa do último século, esta mostra itinerante dá a conhecer aos portugueses, de norte a sul, a singularidade de Amália enquanto mulher e artista.

Esta iniciativa, que conta com o patrocínio oficial da Delta Cafés, está incluída no programa nacional de Comemorações do Centenário do Nascimento de Amália que conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República.

“Bem-Vinda Sejas, Amália” já passou por Braga, Maia, Fundão, Viana do Castelo, Odemira, Ourém, Lisboa (Santa Casa Alfama) e seguirá ainda para Alter do Chão, Crato, Portimão, Barcelos, Alcochete, entre outros municípios a anunciar.

No ano em que se assinala o centenário do nascimento de Amália Rodrigues, a Imprensa Nacional – Casa da Moeda (INCM) e a Fundação Amália Rodrigues associam-se para homenagear aquela que foi por muitos considerada uma “Pátria pela voz”.

Esta parceria foi concretizada através da celebração de um protocolo assinado na Casa-Museu Amália Rodrigues, em Lisboa, no dia 12 de outubro, por Gonçalo Caseiro e Alcides Gama, respetivamente Presidente e Vogal do Conselho de Administração da INCM, e Vicente Rodrigues e Luís Andrade, respetivamente Presidente e Vogal do Conselho de Administração da Fundação.

No âmbito deste protocolo, a INCM propõe-se concretizar projetos editoriais e outros de âmbito cultural, nomeadamente ações de divulgação da vida e obra de Amália Rodrigues e dos poetas que cantou junto de escolas e associações culturais e recreativas, através da recriação, interpretação teatral e leituras encenadas da obra infantojuvenil “Amália Rodrigues – Um lugar Misterioso”, que faz parte da coleção “Grandes Vidas Portuguesas”, editada pela Imprensa Nacional e pela Pato Lógico.

Em ano de centenário da artista, a Santa Casa juntou-se à Fundação Amália Rodrigues com o objetivo de tornar a cultura acessível a todos. Além de apoiar a cultura, a instituição quer ajudar a preservar o património da fadista.

Tendo em conta o contributo dado pela Fundação Amália Rodrigues à cultura nacional, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa celebrou um protocolo com a Fundação, dando assim continuidade à missão de apoiar o setor, sobretudo em tempos de pandemia, ao possibilitar ainda que os espetáculos sejam acessíveis a todos.

Este protocolo visa, entre outras medidas, apoiar a Fundação a criar condições de acessibilidade e conforto a pessoas de mobilidade reduzida e a requalificar o espaço destinado a reservas museológicas que carece de reconstrução de toda a cobertura do edifício. Destaque ainda para a criação de um programa especialmente vocacionado para os seniores, que será desenvolvido ainda em 2020.

E porque Amália merece ser lembrada sempre, a edição de 2020 do Santa Casa Alfama foi dedicada ao centenário da Voz de Portugal. Assim, destaca-se o concerto “Celebrar Amália 100 Anos Depois”, uma homenagem de diversos artistas a Amália (Jorge Fernando, Rui Veloso, Kátia Guerreiro, Diogo Piçarra, Marco Rodrigues, Sara Correia, André Amaro), a presença da exposição “Bem-Vinda Sejas Amália”, concebida pela Fundação Amália Rodrigues, nesta edição do festival de Fado da capital, e o espetáculo de video mapping produzido em parceria com a Fundação Amália Rodrigues.

Veja aqui a reportagem “Amália, canta-me o fado” sobre o festival, que destaca também a parceria estabelecida em julho de 2020 entre a Santa Casa e a Fundação Amália Rodrigues.

A Miranda & Associados e a Fundação Amália Rodrigues unem-se nas celebrações do centenário do nascimento de Amália Rodrigues e oficializam o protocolo de prestação de serviços de apoio jurídico à Fundação.

A cerimónia realizou-se no passado dia 29 de setembro, na Casa-Museu da Fundação Amália Rodrigues, em Lisboa, e contou com a presença de Diogo Xavier da Cunha e Ana Pinelas Pinto, respetivamente Presidente do Conselho de Administração e Sócia-Administradora da Miranda, e de Joaquim Vicente Rodrigues e Francisco Velez Roxo, respetivamente Presidente e Vogal do Conselho da Administração da Fundação.

A Miranda tem desenvolvido de forma crescente as suas atividades de responsabilidade social quer numa vertente mais estrita da prestação de serviços jurídicos pro bono quer no envolvimento e interação com as principais instituições sociais e culturais do país e é nesse sentido que se associa à Fundação Amália Rodrigues.

A exposição de homenagem a Amália Rodrigues “Bem-Vinda Sejas, Amália” inaugurou em Ourém a 26 de Setembro, no Auditório Cultural dos Paços do Concelho, onde estará patente até 10 de Outubro. Esta abertura decorreu no âmbito das Comemorações da Fundação Oureana e Instituto Amália, entre outras entidades de Ourém, que incluíram também a inauguração de um memorial de homenagem à Rainha do Fado.

Produzida pela Fundação Amália Rodrigues para celebrar o centenário do nascimento de uma das mais importantes figuras da cultura portuguesa do último século, esta mostra itinerante dá a conhecer aos portugueses, de norte a sul, a singularidade de Amália enquanto mulher e artista. No caso de Ourém, a mostra integra ainda fotografias e objetos da Voz de Portugal aquando das suas visitas a este Município.

Esta iniciativa, patrocinada pela Delta Cafés, está incluída no programa nacional de Comemorações do Centenário do Nascimento de Amália que conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República.

“Bem-Vinda Sejas, Amália” já passou por Braga, Maia, Fundão, Viana do Castelo, Odemira e seguirá ainda para Alter do Chão, Lagoa, Crato, Portimão, Barcelos, Alcochete, entre outros municípios.