SITE EM CONSTRUÇÃOVisite a Casa Museu

A Fundação

Instituída por testamento de Amália Rodrigues


A Fundação Amália Rodrigues é uma pessoa coletiva de direito privado e tipo fundacional sem fins lucrativos de solidariedade social e utilidade pública em geral, instituída por testamento de Amália Rodrigues, sua última vontade, exarado por escritura em 30 de Setembro de 1997 vindo a ser reconhecida em 25 de Janeiro de 2000 mediante a publicação na III Série do Diário da República n.º 38, de 15 de Fevereiro de 2000, através da Portaria n.º 281/2000.

Tem por missão auxiliar os mais desfavorecidos, instituições de beneficência ou de solidariedade social e nesse propósito, desenvolver todas as atividades que entender como adequadas à realização dos seus fins, sem nunca esquecer a vontade real ou presumível da sua fundadora.

Além do Presidente, a Fundação é constituída por um Conselho de Administração, um Conselho Fiscal e um Conselho Geral, com competências definidas nos seus Estatutos publicados no Diário da República n.º 301, da III Série, de 29 de Dezembro de 1999.

Tem a sua sede na Rua de São Bento n.º 193, em Lisboa, onde funciona a Casa Museu Amália Rodrigues, aberta ao público para visitas todos os dias do ano exceto às segundas-feiras e Feriados.

Reconhecida de utilidade pública com efeitos retroativos à data do pedido, por despacho da Presidência do Conselho de Ministros, assinado pelo Senhor Primeiro-Ministro, José Sócrates, em 28.09.2007.

A Fundação Amália Rodrigues é detentora dos direitos de nome e imagem da fadista, gerindo este património imaterial com o objetivo de captar apoios e receitas para concretizar a ação de solidariedade social que, por testamento de Amália Rodrigues, constitui o objetivo nuclear da Fundação.

Para fazer juz a este desiderato, a Fundação promove e apoia exposições e eventos associados ao nome de Amália Rodrigues e ao Fado, publicações literárias, álbuns e registos fonográficos e videográficos, objetos de ornamentação e coleção (desde joalharia a artigos de consumo alimentar).

A Casa Museu Amália Rodrigues foi inaugurada em 24 de Julho de 2001 e assim cumprido o desejo de Amália Rodrigues, de abrir a casa que foi sua durante mais de 50 anos, ao público. No seu interior, conservado da mesma forma que Amália o deixou no dia 6 de Outubro de 1999, podem-se observar inúmeras peças de arte, condecorações, trofeus, vestidos, joias e inúmeros objetos pessoais. Aqui o tempo parou, Amália está por toda a parte, nas paredes com os seus retratos e pinturas, no chão que tantas vezes pisou, no ar pois continuamos a ouvi-la cantar. É uma casa onde se ouve e respira fado, onde se comunga do espaço em que outrora viveu a mais reputada fadista portuguesa, onde o jeito de ser português está em cada recanto, em cada azulejo e em cada objecto. Esta é a sua casa, a casa que guarda a sua vida, a vida que se prolonga além das memórias, e a memória da grande Diva que continua inequivocamente a ser. A Fundação Amália Rodrigues prossegue o objetivo de manutenção deste espaço, proporcionar a sua visita e manter viva toda a sua obra e memória.

Fundação Amália Rodrigues

A Fundação Amália Rodrigues

Rua de São Bento, Lisboa
Escadas da casa museu da Amália Rodrigues

Casa Museu

Escadas da Casa Amália Rodrigues

Casa Museu

Quarto da Casa Amália Rodrigues